Biotoxicologia 06/07 - Ciências Farmacêuticas da Universidade do Porto

Aspectos Bioquímicos e Fisiológicos

Os  EA naturais são sintetizados nos testículos, ovários e glândulas suprarrenais, a partir do colesterol. Os sintéticos são baseados na principal hormona masculina, a testosterona, modificada por 3 vias: A - esterificação do grupo –OH na posição 17;  B - alquilação do C17;  C - modificação do núcleo esteróide  (6,7).  (Figura 1)

 

Nos mamíferos, a secreção de testosterona é pulsátil e regulada por retroalimentação negativa. Quando há deficiência de testosterona, ocorre estímulo do hipotálamo que, através da secreção da “Gonatropin Releasing Hormone – GnRH”, estimula a glândula pituitária a libertar hormona luteinizante - LH e hormona foliculo estimulante - FSH, aumentando a síntese de testosterona. O excesso de testosterona suprime a secreção de ambas gonadotrofinas, diminuindo a produção endógena da hormona e da espermatogênese e levando, por exemplo, a atrofia testicular (Figura 2). Outras hormonas podem influenciar a síntese da testosterona como prolactina, cortisol, insulina, “insulin-like growth factor”, estradiol, etc.

Outros estímulos também podem interferir neste ciclo, podendo desencadear um aumento significativo da testosterona plasmática, como por exemplo, após períodos de stress agudo como em competições, no entanto, este aumento não traz implicações para os testes de urina antidoping. (8, 9, 10, 11).

Mecanismo de Acção

Os EAA são moléculas lipofilicas, que são transportados na circulação sistémica por proteínas especificas (“sex hormone binding globulin” – SHBG) até aos tecidos alvo. Nestes, atravessam  facilmente a membrana plasmática, através de difusão simples, ligando-se a receptores específicos (Figura 3), que podem estar no citoplasma (a maioria) ou no núcleo das células. Ao ligarem-se aos receptores proteicos (presentes especialmemte no tecido reprodutor, muscular e lipídico) formam um complexo esteroide-receptor o que desencadeia alterações na conformação das proteínas receptoras (permitindo a formação de dímeros no núcleo com outros complexos do mesmo tipo), de forma que estas conseguem-se ligar a sequências de DNA altamente específicas, denominadas elementos de resposta à hormona (do inglês – “hormone response element” - HRE). Com a ligação do dímero hormona-receptor ao HRE, passa a ocorrer então a expressão génica (mecanismo de transcrição de DNA a RNA-m no núcleo, e tradução do RNA-m, por ribossomas, a proteínas no citoplasma) dos genes específicos adjacentes ao HRE (Figura 4). Assim, constata-se a interação de EAA com receptores intracelulares, que apresentam vários domínios funcionais, responsáveis pela ligação à hormona, ligação esta de alta especificidade e baixa afinidade, ligação a regiões de DNA específicas e ativação da expressão génica. De uma forma geral, os EAA regulam uma variedade de processos envolvidos no desenvolvimento, diferenciação, crescimento e adaptação a mudanças do meio interno e ambientais. (8, 9, 10, 11, 12, 13)

 

 


Acções Fisio-Farmacológicas

1)Acções sexuais: produzem efeitos nos órgãos sexuais :

  1. promove o crescimento do escroto, pénis e glândulas secretoras sexuais
  2. aumenta o peso e o crescimento testicular
  3. estimula a espermatogénese nos túbulos seminíferos
  4. estimula a maturação dos espermatozóides
  5. completa as características do sémen, ao estimular a sua constituição no epidídimo e nos ductos deferentes
  6. aumenta o desejo sexual ou a líbido

 e ainda promovem efeitos nas características sexuais secundárias, tais como:

  1. aumenta a massa muscular
  2. aumenta o crescimento ósseo em altura e união das placas epifisárias
  3. hipertrofia da laringe e engrossamento da voz
  4. proliferação das glândulas sebáceas com aparecimento de acne
  5. aumenta a pilosidade pelo corpo: púbis, tronco, membros e face

2)Acções sobre a hipófise : por retroinibição negativa a testosterona inibe a secreção de gonadotrofinas hipofisárias e consequentemente as LH e FSH.

 

3)Acções metabólicas:  produzem efeitos anabólicos:

  1. aumento da síntese proteica
  2. acção miotrófica: aumento da massa muscular esquelética e sua força
  3. aumento da concentração de hemoglobina
  4. aumento do hematócrito
  5. aumento da retenção de azoto
  6. redução dos stocks de gordura corporal
  7. aumento da remodelação e crescimento ósseo
  8. retenção de sódio, água, cloro, fósforo e potássio
  9. aumento do apetite

4) Estímulo da eritropoiese: devido a um aumento da produção renal de eritropoietina

 

5)Efeitos androgénicos:

  1. crescimento do pénis e do clitóris
  2. espessamento das cordas vocais
  3. aumento da líbido
  4. aumento da secreção nas glândulas sebáceas
  5. aumento de pêlos no corpo e na face
  6. padrão masculino dos pêlos pubicos
  7. supressão da produção de hormonas sexuais endógenas
  8. prejudicar a espermatogénese

6)Outros efeitos desejáveis:

  1. diminuição da fadiga
  2. aumentar a retenção de glicogénio
  3. favorecer o metabolismo dos aminoácidos
  4. inibir a actuação do cortisol (hormona catabólica), libertada pelo stress. Também torna o organismo mais susceptível a gripes e constipações por suprimir os mecanismos imunológicos
  5. promover um balanço azotado positivo
  6. aumento da força de contratibilidade muscular

(10)