Ouro | Metal Nobre e o Paradoxo da sua Toxicologia
   
Início
História

O Ouro na Natureza

Propriedades
Utilizações Terapêuticas
Outras Utilizações
Crisoterapia / Auroterapia

Toxicocinética

Toxicidade
Antídoto
Curiosidades
Caso Clínico
Bibliografia
Autores
 

O Ouro na Natureza

 
     
 

Por ser relativamente inerte, pode-se encontrá-lo como metal, às vezes como pepitas grandes, mas geralmente encontra-se em pequenas inclusões em alguns minerais, como quartzo, rochas metamórficas e depósitos aluviares originados dessas fontes. O ouro está amplamente distribuído, e amiúde encontra-se associado ao quartzo e pirite. É comum como impureza em muitos minérios, de onde é extraído como subproduto. Como mineral é encontrado na forma de calaverita, um telureto de ouro. A África do Sul é o principal produtor de ouro, extraindo aproximadamente dois terços de toda a procura mundial deste metal.

O ouro é extraído por um processo denominado lixiviação com cianeto. O uso do cianeto facilita a oxidação do ouro formando-se (CN)22- em dissolução. Para separar o ouro da solução procede-se a redução empregando, por exemplo, o zinco. Tem-se tentado substituir o cianeto por outro ligante devido aos problemas ambientais que gera, porém não são rentáveis ou também são tóxicos.

Uma grande quantidade de ouro é encontrada nos mares e oceanos, podendo sua concentração variar de 0,1 µg/kg a 2 µg/kg, porém não existe nenhum método rentável para obtê-lo.1 

 

Abundância

Crosta terrestre (p.p.m.)

0.0011

Àgua do mar (p.p.m.)

0.00001

Atmosfera (p.p.m.)

N/A

Sol (Relativo a H=1E12)

5.6

Níveis nos humanos*

Sangue/mg dm-3

(0.1-4.2) x 10-4

Osso/p.p.m

0.016

Fígado/p.p.m

0.0004

Músculo/p.p.m

n/a

Ingestão diária na dieta

n/a

Massa total em apróx. 70kg humana

0.2 mg


*Nota: Estes valores representam os níveis de Ouro que existem naturalmente no organismo humano; não representam as doses diárias recomendadas.10

 
   
  www.ff.up.pt

www.ff.up.pt/toxicologia

Ver o resumo na Wikipedia

 
Web Design por Mexigun 2006