Lindano
 
    O lindano é um composto sintético persistente, bio-acumulativo e tóxico.1 Foi inicialmente desenvolvido como um insecticida agrícola e depois aplicado em formulações médicas, devido à sua eficácia contra piolhos e sarna.
 
    O lindano é o isómero γ do hexaclorociclohexano (γ-HCH). É um composto organoclorado, recentemente em destaque, dado o seu perfil de baixa segurança.2 Além dos problemas de segurança, também têm sido descritos casos de resistência.3
 
    As loções e champôs de lindano são usados desde a década de 50. O lindano é usado para matar a sarna, os piolhos e os seus ovos alojados na pele, cabelos e pêlos. Estima-se que são feitas mais de 1 milhão de prescrições de lindano todos os anos nos EUA. No entanto, este número tem decrescido nos últimos anos.
Os primeiros usos do lindano foram como insecticida, acaricida, rodenticida e vermífugo.4
    Actualmente, o lindano está classificado para uso humano como escabicida e pediculicida.5
 
Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Toxicologia Mecanística no ano lectivo 2007/2008 do Curso de Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto (FFUP). Este trabalho tem a responsabilidade pedagógica e científica do Prof. Doutor Fernando Remião do Laboratório de Toxicologia da FFUP.
Trabalho realizado por Filipe Pereira, Joana Tuna e Helena Andrade