Toxicologia 2007

 

 

 

 
   

 

 Introdução  

PRECAUÇÕES

  • Este medicamento é contra-indicado na faixa etária de pacientes menores de 18 anos.

  • Informe o seu médico e/ou farmacêutico do aparecimento de reacções indesejáveis.

  • Informe o seu médico e/ou farmacêutico se está a tomar algum outro medicamento. Este fármaco interage com muitos outros podendo levar a reacções de toxicidade. (Ver em Toxicidade/ interacções)

  • Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico e/ou farmacêutico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

  • Este fármaco pode interferir na capacidade de julgamento, pensamento e acção.

  • Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou lactantes sem orientação médica.

     A depressão está associada a um risco aumentado de ideias de suicídio, auto-agressão e suicídio. O risco persiste até haver uma melhoria na sua doença. Dado que podem passar 3 a 4 semanas até que se verifique essa melhoria, o seu médico monitorizá-lo-á de perto no início do tratamento com fluoxetina. Outros estados psiquiátricos para os quais Prozac é receitado, podem também estar associados com um risco aumentado de acontecimentos relacionados com o suicídio. As mesmas precauções devem ser tomadas quando se tratam doentes com outros distúrbios psiquiátricos.

 

Utilização em crianças e adolescentes com idades entre os 8 e os 18 anos de idade:

Doentes com menos de 18 anos de idade quando tomam este tipo de medicamentos, têm um risco aumentado de efeitos secundários, tais como tentativa de suicídio, ideação suicida e hostilidade (predominantemente agressão, comportamento de oposição e raiva). Prozac só deve ser utilizado em crianças e adolescentes com idades entre os 8 e os 18 anos no tratamento de episódios depressivos major moderados a graves (em combinação com uma terapêutica psicológica concomitante) e não deve ser utilizado noutras indicações. Além disso, existem apenas escassos dados disponíveis relativos aos efeitos do Prozac sobre a segurança a longo prazo no crescimento, na maturação sexual, desenvolvimento cognitivo, emocional e comportamental, neste grupo etário. Se algum dos sintomas acima indicados se desenvolver ou se agravar quando doentes com menos de 18 anos estiverem a tomar Prozac, deve informar o seu médico.

 

 

 

 

REACÇÕES ADVERSAS

»Organismo como um todo: Hipersensibilidade (ex.: prurido, exantema, urticária, reacção anafiláctica, vasculite, reacção do tipo doença do soro, angioedema), arrepios, síndrome da serotonina, fotossensibilidade e, muito raramente, Eritema Multiforme que pode progredir para Síndrome de Stevens-Johnson ou Necrólise Epidérmica Tóxica (síndrome de Lyell).

»Aparelho Digestivo: diarreia, náusea, vómitos, disfagia, dispepsia e perturbações do paladar e  xerostomia. Foram notificados, raramente, testes anómalos da função hepática, muito raramente hepatite idiossincrática.

 »Sistema nervoso: Cefaleias, alterações do sono (ex.: sonhos anormais, insónia), tonturas, anorexia, fadiga (ex.: sonolência, torpor), euforia, movimento anormal transitório (ex.: contracções musculares, ataxia, tremores, mioclonias), convulsões e raramente agitação psicomotora/acatísia. Alucinações, reacções maníacas, confusão, agitação, ansiedade e sintomas associados (ex.: nervosismo), concentração e processo de raciocínio diminuídos (ex.:despersonalização), ataques de pânico, ideação e comportamento suicida (estes sintomas podem ser devidos à doença subjacente), muito  raramente Síndrome da Serotonina.

 »Aparelho respiratório: Faringite, dispneia. Foram raramente notificados eventos pulmonares (incluindo processos inflamatórios de histopatologia variada e/ou fibrose).A dispneia pode ser o único sintoma precedente.

»Aparelho geniturinário: Retenção urinária, aumento da frequência urinária.

»Função reprodutiva: Disfunção sexual (ejaculação demorada ou ausência de ejaculação, anorgasmia), priapismo, galactorreia.

      Disfunção sexual

    O uso de inibidores selectivos da recaptação da serotonina está associado principalmente a retardo ejaculatório nos homens e anorgasmia nas mulheres. Inicialmente estimava-se uma incidência de problemas sexuais associados ao uso da fluoxetina em 1,9%, mas hoje os estudos sugerem que este número possa chegar a 75%. Para melhorar estes sintomas a dose deverá ser reduzida, a estimulação sexual aumentada ou associado bupropiona, ciproeptadina, amantadina ou ioimbina. A mudança de antidepressivo para nefazodona, bupropiona ou mirtazapina, que comprometem menos a função sexual.

 

»Outros: Alopécia, alterações visuais (por ex. visão turva, midríase), sudorese, vasodilatação, artralgia, mialgia, hipotensão postural, equimoses. Outras manifestações hemorrágicas (ex.: hemorragias ginecológicas, hemorragias gastrointestinais e outras hemorragias cutâneas ou mucosas) foram raramente notificadas.

 

 

 

 

 

 

História

Molécula

Indicações

Farmacodinâmica

Farmacocinética

Comunicação de Risco

Toxicidade

Bibliografia

Links

 

HOME