Rectângulo arredondado: Tratamento

O objectivo de tratamento é manter funções vitais do organismo e remoção do agente tóxico. Maioria dos indivíduos intoxicados precisam de ser admitidos em unidade dos cuidados intensivos para monitorização rigoroso e podem precisar da ventilação mecânica.

Se a intoxicação for recente, é necessário, lavagem gástrica para remoção de etilenoglicol. A lavagem gástrica é efectiva apenas até 2 hora após intoxicação, sendo ter absorção rápida.

Outros tratamentos incluem carvão activado, solução de bicarbonato de sódio IV ou citrato alcalino oral ao fim de reversão da acidose metabólica severa ou prevenção de lesões renais adicionais pela deposição de cristais de oxalato de cálcio, antídotos que reduzem a velocidade de formação dos metabólicos tóxicos no organismo (inibidores específicos de álcool desidrogenase nomeadamente etanol e fomepizol / 4-metil pirazol).

Nos casos graves pode ser necessária hemodiálise para remoção directa de etilenoglicol e os seus metabólicos tóxicos do organismo. A hemodiálise reduz a necessidade do organismo a eliminar as substâncias tóxicas e pode ser necessário nos indivíduos que desenvolveram insuficiência severa renal como resultado de intoxicação. A hemodiálise é muito efectiva na remoção de etilenoglicol e ácido glicólico e está indicado quando a concentração plasmática de etilenoglicol excede a 50mg/dl ou quando há acidose metabólica severa, insuficiência renal ou distúrbios dos electrólitos, mas dificulta o tratamento. Temos que ter em consideração que o etanol e fomepizol apenas previnem a primeira etapa de metabolização de etilenoglicol, e passando muito tempo da ingestão até o início de tratamento, temos que instalar a hemodiálise. Por isso determinação de metabolitos de etilenoglicol na fase do diagnóstico é muito importante na decisão sobre o tratamento.

A infusão de etanol é iniciado com 0,6 a 1,2 g/kg de peso e continua-se com 0,10 a 0,12g/kg/h até atingir nível plasmático de 100 a 200 mg/dl. Como alternativo poderá ser administrado fomepizol com concentração inicial de 15mg/kg e continua de 10mg/kg 12 em 12 horas até que o nível plasmático de etilenoglicol baixe até 20mg/dl.

Fomepizol pode ser considerado tratamento de primeira linha antes da ocorrência de acidose metabólica severa ou insuficiência renal, sendo ter a vantagem de não haver depressão de sistema nervoso central e a manutenção de nível plasmático ser mais fácil comparando com o etanol, mas é muito caro. O etanol é mais acessível e mais económico, mas tem a desvantagem de neurotoxicidade e risco de ocorrência de hipoglicemia e problemas de ajuste de dose.

Pode ser administrado citrato alcalino oral ou bicarbonato de sódio IV até a normalização completa de todos os parâmetros urinários. Citrato alcalino tem a vantagem de aumentar citrato urinário e a pH, melhorando assim a índice de solubilidade urinária de oxalato de cálcio e pode prevenir nefrocalcinoses adicionais e acidose metabólica severa.

Com um diagnóstico precoce e um tratamento imediato e adequado, o individuo intoxicado com o etilenoglicol podem sobreviver e até mesmo recuperar a insuficiência renal ou coma. No entanto o atraso em tratamento, a intoxicação com etilenoglicol pode ser mortal. A ingestão de etilenoglicol é uma emergência médica e no caso de suspeita a possível intoxicação deve ser rapidamente tratado não esperando pelo desenvolvimento dos sintomas.

 

[17,19,22,24]

 

Etanol

Fomepizol